domingo, 18 de outubro de 2009

Amor (outra vez)

Um fim ... um recomeço...
feridas que pareciam não cicatrizar,
magoas que não desaparecem.
O amor.
Passeio de bonde ou queda livre ?
Prefiro fechar os olhos e não saber o final.
Seremos estranhos, amigos, inimigos mortais.
Meros conhecidos que se esbarram no metrô.
Beijos enlouquecidos de paixão?
Não, apenas um menear com a cabeça.
(educação)
Gemidos, suspiros, espasmos.
Devolva meus livros.
Venha buscar seus cd`s.
Te amo pra sempre ...
preciso respirar.
Te odeio.
Perdi o meu tempo.
O amor.
A musica que não para de tocar:

" A quoi ça sert l`amour ? "

(eis uma pergunta que eu o desafio a responder.)

Devemos ser gratos?
Rancorosos?
Penitentes?
Quem iremos culpar quando um olhar se perder pela pequena fresta da janela?
Me prometa, amor.
Não, não faça promessas.
Não façamos promessas.
O que temos hoje?
Porque você me deixou?

"Ne me quitte pas."


Sejamos um do outro pra sempre.
Porque pra sempre é hoje.
Uma tatuagem viva.
A marca do fogo.
O amor justificara este nosso pequeno pecado.
Nossa deslealdade, nosso egoísmo.
Só temos um ao outro.
Temos tudo que precisamos.
Você não pode entender, então...
Não somos mais amigos ?
Não me reconhece mais?
Esqueceu quem eu sou?
Por favor, não deixe meu cão fugir.

Permita,

que não falte frutas aos pássaros,
que sejam eles livres, livres...
livres apesar das sombras,
apesar dos medos,
apesar das frutas...
e permita que
 apesar dos riscos
que não  deixem de comê-las.
 
Prometo (agora faço promessa?)
manter me faminta.
Prometa (se quiser)
tentar me alimentar.

Permita,

que não falte pássaros nas árvores.
e que sejam elas fortes, fortes...
fortes apesar das tempestades,
apesar dos ventos,
apesar dos pássaros...
permita
que apesar do tempo
 não deixem de florescer.

Amor.

5 comentários:

Eduardo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Eduardo disse...

Perdoe minha "ignorância literária".

Greta disse...

!

Greta disse...

nossa, não entendi!

Eduardo disse...

"Enquanto tivermos isso, tudo estará perfeito..."