quinta-feira, 31 de dezembro de 2009

Nenhum post natalino?

Pois é ... estive muito ocupada e meio de porre da minha vida virtual  :( se é que isso existe...rsrs
Mas eu sempre escrevo algo em meu caderninho, aqueles de papel mesmo, sabem como é?
então... escrevi umas bobagens e entitulei :

O que você precisa saber sobre o Natal.

1. o Natal é um feriado.  

2. as pessoas não ficam felizes devido ao efeito mágico do espirito natalino, elas ficam felizes porque é feriado e as pessoas geralmente ficam felizes nos feriados ( e o álcool contribui bastante).

3. as pessoas não ficam  mais generosas no natal. Elas ficam mais consumistas.

4. o presente que você doa a uma criança "carente" não mudará a  vida dela, apenas o ajudará a espiar a culpa que você sente por aceitar a desigualdade social que aliás,  lhe favorece.

5. o Natal não é festa de famlia.Familias felizes são familias felizes durante todo ano (ou não).
As familias infelizes apenas se reunem para celebrar a hipocresia que obriga quem se detesta  dividir o mesmo ambiente.

6.milagres acontecem no Natal... e nos outros 364 dias do ano.
se você não acredita pense nas vidas que são salvas em hospitais sem recursos, nos professores que ensinam apesar das adversidades... milagres operados por santos que muitas vezes nem são cristãos alguns são até ateus.E isso não tem nada haver com a pseudo-caridade cristã que me enoja profundamente
Mas como não quero me estender muito neste assunto (o da pseudo-caridade cristã), vamos ao próximo tópico.

7. Papai Noel não existe!
Sabe aquela música que os professores fazem as crianças cantarem no pátio da escola, decorado com papel crepom, que diz: " Seja rico ou seja pobre, o velhinho sempre vem..." então... isso não é verdade.
Gente, não se deve ensinar esse tipo de coisa às crianças. Porque isso é MENTIRA ... e os professores filhos da puta que montam um circo desses com crianças ... são ... são deixa pra lá...

Não, não pensem que eu odeio Natal, eu odeio o comportamento das pessoas no Natal, eu odeio o comportamento das pessoas quase o tempo todo.
Eu até faço Árvore de Natal,
como  faziam meus ancestrais pagãos.
Eu como panetones, com gotas de chocolate e todas as outras deliciosas variações.
E quando eu estou de bom humor até compro presentes, coisas simples, nada que me faça começar o ano no vermelho.
E quando não estou afim não compro presente nenhum, porque não sou obrigada.
E como hoje estou de bom humor até vou postar um vídeo com uma canção  para vocês cantarem com seus filhos no próximo Natal.

segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

Quem são as criancinhas ?





Os visitantes menos distraidos devem ter percebido que, com certa frequencia faço uso de imagens de crianças, num cenário bucólico, atemporal talvez ... como num sonho ou num pesadelo.

Estas imagens são da fotógrafa alemã Loretta Lux.

As crianças fotografadas são filhos de familiares e amigos, nunca modelos pagos.

Também só fotografa com permissão das crianças e aceita sugestão de como gostariam de posar.

São produzidas de três a cinco fotos por ano, devido ao trabalho de arte que se assemelha a de um pintor em uma tela, com a diferença de que neste caso trata-se de um trabalho gráfico.

.... a tempestade outra vez ...

Vejo umas nuvenzinhas negras lá fora,
a vida é uma coisa séria?
Minha vó me apareceu num sonho vivinha.
Mas esta mortinha, e foi enterrada com o terço entre os dedos.
Cristã pagã espirita
na dúvida rezemos a Ladainha.
Eu não sei dizer bem como me sinto hoje.
hoje ... eu não amo ninguém.
acho que acordei com o coração vazio e cheio de nuvenzinhas negras.
Estou com medo.
mas sei que isso vai passar...quero escrever algo neste blog
postar um texto decente.
Quero parar de imaginar todo mundo no caixão,
e voltar a imginar as pessoas nuas ou fazendo sexo.
... estranho ...

quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

                              


      Não me diga que preciso malhar...

quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

Preciso comprar um pinheiro - (de novo)

Preciso não.
Comprei.
Enfeitamos, decoramos a casa com algumas luzes.
Preciso ver se acendo algumas em minha alma...hehe
Sonhei com minha avó, sentada na cadeirinha.
" Vó, a senhora tá viva ou tá morta?"
Ela me responde:
"E você? Está viva ?"
E claro que estamos vivas.
E estavamos quando nos depedimos no hospital.
Ela susurrou: " Se despede da Rosa"
A Rosa, paciente da cama ao lado.
Morreu na semana seguinte.
O corpo da minha vó explode por dentro.
Minha alma explode , despedaçada se refaz a cada manhã.
Eu estou viva, meus amores!!!
Meus amores me fazem viver.

domingo, 22 de novembro de 2009

Enquanto a tespestade não passa ... uma canção.

terça-feira, 3 de novembro de 2009

angústia

domingo, 1 de novembro de 2009

terça-feira, 27 de outubro de 2009

NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI
NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI
NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI
NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI
NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI
NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI
NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI 
NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI 
NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI
NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI
NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI
NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI
NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI
NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI
NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI
NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI
NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI
NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI
NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI
NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI
NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI
NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI
NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI
NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI
NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI
NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI
NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI
NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI
NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI
NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI
NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI
NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI
NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI
NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI
NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI
NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI
NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI
NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI
NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI
NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI
NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI
NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI
NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI
NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI
NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI O SEI NÃO SEI
NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI
NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI
NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI
NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI
NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI
NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI
NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI
NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI
NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI
NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI
NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI
NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI
NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI
NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI
NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI
NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI
NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI
NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI
NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI
NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI
NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI
NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI
NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI
NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI
NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI
NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI
NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI
NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI
NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI
NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI
NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI
NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI
NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI
NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI
NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI NÃO SEI



RESPONDO DESDE JÁ  AS PERGUNTAS CRETINAS QUE AINDA ME SERÃO FEITAS .

                                    (SÓ PRA EVITAR A FADIGA.)




segunda-feira, 26 de outubro de 2009



                                              Absurdo...    pessimista ao extremo.

sábado, 24 de outubro de 2009




"Estive cansado



                         Meu orgulho me deixou cansado


Meu egoísmo me deixou cansado


             Minha vaidade me deixou cansado


Não falo pelos outros


                                        Só falo por mim


            Ninguém vai me dizer o que sentir "

(Legião Urbana)



quinta-feira, 22 de outubro de 2009

                                                                                                      O que  fazer ?





                                     Eu não acredito em vocês!



   Vão embora de uma vez.
                         Minhas lembranças se foram com a chuva.
   Meus sonhos morreram com elas.




    Não mais nada que eu possa dizer.

          (a não ser )                                          
                                                        




                                   Fiquem longe de mim!


quarta-feira, 21 de outubro de 2009


Tem madrugada que é foda.
A verdade dói por isso igonoro-a.
Não que eu não tenha sentido falta,
não que eu não tenha chorado.
Mas o que realmente me faz falta é o tempo que eu queria  ter amigos.
Das coisas que eu gostava de fazer e que já não lembro quais são.
Falta...será que sinto falta...
daqueles dias que pude me orgulhar...
quando eu tinha algo de que me orgulhar...
Não, não é isso.
Mas será que importa?
Hoje sou tão pálida como o inicio desta manhã.

domingo, 18 de outubro de 2009

Amor (outra vez)

Um fim ... um recomeço...
feridas que pareciam não cicatrizar,
magoas que não desaparecem.
O amor.
Passeio de bonde ou queda livre ?
Prefiro fechar os olhos e não saber o final.
Seremos estranhos, amigos, inimigos mortais.
Meros conhecidos que se esbarram no metrô.
Beijos enlouquecidos de paixão?
Não, apenas um menear com a cabeça.
(educação)
Gemidos, suspiros, espasmos.
Devolva meus livros.
Venha buscar seus cd`s.
Te amo pra sempre ...
preciso respirar.
Te odeio.
Perdi o meu tempo.
O amor.
A musica que não para de tocar:

" A quoi ça sert l`amour ? "

(eis uma pergunta que eu o desafio a responder.)

Devemos ser gratos?
Rancorosos?
Penitentes?
Quem iremos culpar quando um olhar se perder pela pequena fresta da janela?
Me prometa, amor.
Não, não faça promessas.
Não façamos promessas.
O que temos hoje?
Porque você me deixou?

"Ne me quitte pas."


Sejamos um do outro pra sempre.
Porque pra sempre é hoje.
Uma tatuagem viva.
A marca do fogo.
O amor justificara este nosso pequeno pecado.
Nossa deslealdade, nosso egoísmo.
Só temos um ao outro.
Temos tudo que precisamos.
Você não pode entender, então...
Não somos mais amigos ?
Não me reconhece mais?
Esqueceu quem eu sou?
Por favor, não deixe meu cão fugir.

Permita,

que não falte frutas aos pássaros,
que sejam eles livres, livres...
livres apesar das sombras,
apesar dos medos,
apesar das frutas...
e permita que
 apesar dos riscos
que não  deixem de comê-las.
 
Prometo (agora faço promessa?)
manter me faminta.
Prometa (se quiser)
tentar me alimentar.

Permita,

que não falte pássaros nas árvores.
e que sejam elas fortes, fortes...
fortes apesar das tempestades,
apesar dos ventos,
apesar dos pássaros...
permita
que apesar do tempo
 não deixem de florescer.

Amor.

sábado, 17 de outubro de 2009




               Foi uma "jura" que morreu sem oração...

terça-feira, 29 de setembro de 2009

Deus é uma invenção humana.
Eu diria que o amor também.E pior que
um religioso fanático e um romântico imbecil.
cheguei a esta conclusão hoje, no ônibus quando vinha do trabalho.
Não me pergunte o que me levou a tal pensamento,
se vocês soubessem e acreditassem em todas as minhas teorias
talvez sua vidas perdessem completamente o sentido.

Greta Poltronieri

sexta-feira, 25 de setembro de 2009

Está tudo acabado agora

Você deve ir embora agora, pegue o que precisar, você acha que vai durar
mas o que quer que você deseja manter, é melhor pegar rápido
Lá está o seu órfão com a arma chorando como um fogo ao sol
os santos estão aparecendo
e está tudo acabado agora, Baby Blue

A auto-estrada é para jogadores, é melhor ter juízo
Pegue o que você juntou das coincidências
O pintor de mãos vazias das ruas
está fazendo desenhos malucos nos seus lençóis
Este céu, também, está se dobrando abaixo de você
e está tudo acabado agora, Baby Blue

Todos os seus marinheiros com enjôo, estão indo pra casa
todos os seus exércitos de renas estão indo pra casa
O amante que acabou de sair por sua porta
tirou todos os cobertores dele do chão
O carpete também está se movendo debaixo de você
e está tudo acabado agora, Baby Blue

Deixe suas pedras pra trás, alguém o chama
esqueça os mortos que você abandonou, eles não o seguirão
O andarilho que está batendo à sua porta
está nas roupas que um dia você usou
Acerte um outro lance, recomece
e está tudo acabado agora, Baby Blue

Bob Dylan
It´s All Over Now, Baby Blue.

terça-feira, 8 de setembro de 2009

... aquela velha canção ...

Para se lembrar dos momentos felizes,
escute aquela velha canção.
Foram dias realmente felizes...
Para não enlouquecer
e para aliviar seu coração,
mantenha-se vivo e
escute aquela velha canção.
Nunca tivemos medo do passado ou do futuro.
Mas agora o presente se tornou pesado e triste.
Dias e noites realmente tristes...
como aqueles pássaros que voam perdidos entre as colunas de concreto.
Se algum dia você sentir que não pode suportar,
observe as crianças correndo pela rua
e escute aquela velha canção.
Eu vou estar em algum lugar,
pensando na verdade dos nossos sentimentos,
nas manhãs de sol e nas brincadeiras no quintal.
A vida não é mais assim.
Nunca tivemos medo de seguir adiante,
mas agora este caminho se tornou escuro e triste.
Um caminho realmente triste...
Como pequenas bolas de papel sobre a pedra cinzenta e fria.
Para acender o que resta, feche seus olhos e
escute aquela velha canção.
Eu viverei, sempre pra lembrar que fui feliz,
pra lembrar que um dia fui capaz de ser feliz.
realmente feliz...
e para isso, sempre que for preciso,
ouvirei aquela velha canção.

domingo, 19 de julho de 2009

Visões urbanas.

Eu subi até a sacada e percebi que havia um homem morto na rua.
O sangue escorria pela sarjeta.
Eu não estava me sentindo bem, já havia bebido vinho demais.
Meus amigos riam na sacada e eu ria também.
O policial nos diz:

_ Bom dia!

E respondemos

_ Boa noite!(são 03:00 da marugada)

Eu queimei meu pé.
Me lembrei pela manhã que pisei no cinzeiro.

sábado, 11 de julho de 2009

O amor é realmente uma droga...








Uma quarta-feira idiota.
Véspera de um feriado idiota.
O shopping e seus corredores brancos idiotas.
Uma multidão idiota que caminha sem razão.
garotas idiotas com seus lenços palestinos idiotas.
Os lenços idiotas, não os palestinos.
As calças balones idiotas.
Namoricos idiotas.
O cinema lotado de gente pra ver um filme idiota.
Eu não tenho pra onde ir.
Idiota, sigo a multidão.

domingo, 5 de julho de 2009

Estudo sobre a língua e outras teorias salivares.

Nós, seres humanos desenvolvemos diversas maneiras de nos relacionarmos.
E estes relacionamentos são classificados de acordo com os niveis de intimidade que se estabelecem entre os individuos.
Basicamente:
_ Amantes, namorados e similares,
_ Familiares próximos;
_ Amigos;
_ colegas de trabalho;
_ conhecidos e vizinhos.

Os meios utilizados para que estas relações sejam definidas e fortalecidas são os mais variados.E creio que sejam estes meios conhecidos por todos.
O critério para se obter um nivel maior ou menor de intimidade é na maioria dos casos a famigerada afinidade.
Escolhemos as pessoas com quem desejamos nos relacionar analisando seu comportamento e destacando semelhanças.
No entanto, este método se mostra falho tendo em vista o grande número de individuos que se frustraram em seus relacionamentos, independendo do nivel de intimidade.
Tal insatisfação nos leva a pensar em outros critérios para se escolher com quem se relacionar.
A proposta é classificar os individuos em duas classes apenas:
Lambíveis e Não- lambíveis.
Imagine que antes do primeiro contato deve-se defenir se a pessoa com quem deseja relacionar-se é lambivel ou não.E para tanto será necessário imaginar-se lambendo- a.
Este é um exercício mental simples, embora exija que tenhamos alguma cautela, principalmente no que diz respeito a qual área do corpo eleger para iniciar tal tarefa.
Imagine - se lambendo locais do rosto como testa e narinas, e certamente a sensação não será das mais agradáveis.
Mas é claro que isto vai depender do paladar de cada um.
O mais aconselhavel é utilizar-se de outros partes que compõem a face, como canto dos lábios, queixo e bochechas.
Lóbulo da orelha e pescoço também são bastante agradáveis.
Deixe sua imaginação livre par buscar outras áreas do corpo e se surprenda com o quanto este exercicio poderá ser excitante.
o resultado obtido _ Lambível ou não Lambível - determinara o sucesso deste relacionamento, contudo será ainda necessário resposta positiva do outro envolvido.
Para que a lambida passe do plano mental para realidade faça uso de algum tipo de sinal .
Gestos simples como morder a ponta da lingua ou passar a lingua pelos lábios é mais do que suficiente.
Como resposta basta que o outro repita o gesto.
O tradicional aperto de mão poderia ser tranquilamete substituído por uma lambida, e assim teriamos uma sociedade que se comunica por meio da lingua e não mais por meio do discriminatório idioma.
Uma nova era há de surgir para os seres humanos.
Mas não sejamos ingênuos a ponto de acreditar que não haverá resistência por parte de assépticos e puritanos de modo geral.
Estes levantarão questões irrelevantes baseadas na higiene e nos bons costumes.
Ninguém pode assegurar a higiene ou mesmo a boa intenção de um aperto de mão.
No entanto, lamber exige sinceridade e desejo o que tornará com toda certeza as relações mais verdadeiras.
E é neste ideal que se sustenta esta teoria, que certamente levará a reflexão.


Estava pesquisando para incluir na aula com minha turma de terceiro ano.
Estou postando porque, além de ser muito legal, gostaria que que vocês observassem as crianças que aparecem no video.
Descabeladas, sujas de tinta, descalças...enfim, crianças de verdade.
Muito parecida com as que temos em casa, na escola, nas ruas...nos parques.
Muito diferente de videos para crianças do estilo de "Xuxa só para baixinhos", que apresentam crianças maquiadas, limpas demais.Estlizadas em comportamentos e sorrisos plásticos.

sexta-feira, 15 de maio de 2009

O Chá - II

__ Aonde você vai?
__ Vou preparar um chá.Você quer?
__ Uhum...
__ Tá lavando o cabelo denovo?
__ Eu pedi pra você traser um elástico para eu prender, você nem me ouviu.
__ É que eu não encontrei, porra!
__ E sabe o que é pior?Acabou o condicionador.
__ Nossa...tô comovido.
__ Tá não...tá de pau duro?!
__ O que acha?
__ Eu só transaria agora se fosse com uma menina.
__ Que?
__ Eu disse que quero transar com você, menino!
__ Disse não!Você disse uma menin@...A - A-A.
__ É...e elaaa estaria bem aqui.
__ Se ela estivesse aí eu não estaria aqui, parado, pode ter certeza.
__ Eu não me importo.
__ Sei que não. Se ela pode comer minha mulher, eu posso come-lá.
__ É...isto se eu ainda fosse Bissexual. Agora não... agora eu sou HE -Te -ROs -Sexual...ouviu?!
__ Pois eu não acredito nisso.
__ Você viu..perdeu a oportunidade de transar com duas mulheres juntas.
__ Perdi a oportunidade? Perdi a oportunidade?!
__ É...perdeu.
__ Não senhorita...não tive nenhuma oportunidade!!
__ Pera aí, cara! Você não fez nada pra arrumar uma mulher para a gente.
__ Que?! Como eu ia fazer isso?
__ Não importa, isso não importa mais, agora já era.
__ ...
__ Do mesmo jeito que não importa se você encontrou a porra do elástico ou não, por que agora eu já molhei meu cabelo!!
__ Que inferno... por acaso eu deveria saber aonde você guarda suas coisas?
__ Deixa prá lá.Tanto faz, você sabe.

__ Uhum...tá.
__ Eu não quero mais saber disso.
__ Igualmente iria parar de fumar.
__ É bem diferente.ninguém lambe uma mulher no ponto de ônibus.
__ Nossa...o que tem haver...viajou, gata!
__ Sempre tenho vontade de fumar enquanto espero o ônibus, então me aparece um cretino e acende um cigarro bem perto de mim... não consigo me segurar.
__ Que comparação absurda.
__ Foi você que comparou...
__ Eu te entendo, mas não venha dizer que...
__ Preto.
__ Que?
__ Quero chá preto.Com canela!

__!

segunda-feira, 6 de abril de 2009

Mudaram as estações...segunda parte.

Não sou de ninguém, não sou de lugar nenhum.
Mesmo assim nunca me senti tão insegura.
Também, quem no meu lugar se sentiria seguro?
No dia da mudança, aquela correria, vem um camarada ou outro
mas a ressaca ou a responsabilidade para com seus empregos falou mais forte que a amizade.
Sobrou para o meu pai, que acabara de passar por uma cirurgia odontológica e segurou o trampo.
Enfim sós, eu minha Rapha, que é minha mas também não pertence a ninguém.
Nossa casa foi invadida lá pelas 6:00 da manhã.
Enquanto dormíamos arrombaram uma entrada de ar próxima ao fogão e entraram para roubar alguns objetos quase sem valor comercial.
O que os olhos não vêem o coração não sente.Estou satisfeita por não ter percebido a presença dos gatunos.
Muito embora sinta como se estivessem escondidos pelos cantos da casa e passo todo tempo sobressaltada.
Estou cercada de correntes e cadeados, ando sempre com um molho de chaves.
Enquanto não providencio mais grades para janelas e portões, meu pai dorme na sala.
Sai da casa dos meu pais, que ironia , porque almejava ter mais liberdade.
No entanto me sinto mais prisioneira do que nunca.
Hoje é o segundo dia.
Preciso arranjar um cão e amigos leais.
Preciso instalar a antena e ter mais esperança.
Amanhã é outro dia, que seja melhor.

quarta-feira, 1 de abril de 2009

...


domingo, 29 de março de 2009

Para Minha Raphaela

Non!Rien de rien...
Não! Nada de nada...

No! Je ne regrette rien
Não! Eu não lamento nada...

Ni le bien, Quon ma fait,
Nem o bem que me fizeram

Ni le mal,Tout ça mest bien égal !
Nem o mal - isso tudo me é igual!

Non!Rien de rien...
Não, nada de nada...

No! Je ne regrette rien
Não! Eu não lamento nada...

C'est payé,Balayé,Oublié,
Está pago, varrido, esquecido

Je me fous du passé !
Foda-se o passado!

Avec me souvenirs
Com minhas lembranças

JÂ'ai allumé le feu,
Acendi o fogo

Mes chagrins, mes plaisirs,
Minhas mágoas, meus prazeres

Je nai plus besoin deux !
Não preciso mais deles!

Balayé les amours,
Varridos os amores

Avec leurs trémolos,
E todos os seus temores

Balayés pour toujours
Varridos para sempre

Je repars à zéro...
Recomeço do zero.

Non!Rien de rien...
Não! Nada de nada...

No! Je ne regrette rien
Não! Não lamento nada...!

Ni le bien, Quon ma fait,
Nem o bem que me fizeram

Ni le mal,Tout ça mest bien égal !
Nem o mal, isso tudo me é bem igual!

No! Je ne regrette rien
Não! Não lamento nada...

Car ma vie,Car mes joies,
Pois, minha vida, pois, minhas alegrias

Ça commence avec toi !
Hoje, começam com você!

***No dia que você nasceu!!!***

Composição de Michel Vaucaire
Interpretada por Edith Piaf ( que nós duas adoramos!)
Filha, te Amo "maior que o universo" !! (rsrs)

terça-feira, 24 de março de 2009

Mudaram as estações...

Apesar de ter alguns textos prontos não tenho conseguido postar mais nada.
Meu quarto esta uma bagunça e estou de mudança.
Estes dias tem se prolongado e parece que tudo é provisório(e não é?).
Parece que um dia tudo se ajeita, mas enquanto esse dia não chega, eu, por dentro e por fora, fico parecendo um ninhode amafagafos.
E ele diz: gata, tô com a mente e o coração bagunçado.
Como se eu tivesse alguma coisa organizada em minha vida.
Eu preciso separar os meus cd´s.
Ele diz:Muda na sexta santa porque é pagã e não tá nem aí.
Ela retruca:Muda no domingo de páscoa porque é cristã e tá muito aí.
Pensei no sábado...o de Aleluia!!!
Bem, enquanto isso e vou fazendo um coisa e outra e espremendo uma formiguinha que dança na tela do computador.
Tem poeira por todos os cantos e uma xícara de café vazia cheia de formigas no fundo.
Estou pensando como vai ser e durmo umas 5 horas por noite.
Preciso comprar lençóis e uma televisão.
E no final de semana quase caio do barranco, mas acho que é cedo ainda pra ser interditada.
Bem...por enquanto( provisoriamente, tão provisoriamente quanto viver) peço aos que acompanham meu blog um pouco de paciência.
Dias mais inspiradores virão.

segunda-feira, 2 de março de 2009

Diário de uma garota que não frequenta sessões de psicanálise II

02 de junho de 2004
(tanto faz ainda é quarta-feira)

É como se o mundo estivesse tomado por uma inquietude assustadora. Como se o tempo nos devorasse pelas entranhas e saísse por todos os poros.
As horas são de vida ou de morte?
O céu esta cinzento.Pássaros planam no ar parado que de tão espesso chega ser asfixiante.
Duas semanas, dois suícidios,dois nascimentos e dois novos amores.
Uma vida inteira pode ser contabilizada com o simples movimento do relógio.
As horas são de vida ou de morte?
Começa amanhecer e eu ainda acordada tentando aproximar o corpo do pensamento.Tentando encontrar no abstrato algo concreto que me faça gozar e adormecer.
Em qual tempo, espaço me encontro agora?
No som alegre da música que as crianças cantam, ou no ranger enigmático das portas ?
Talvez eu pertença ao silêncio.
Ao obscuro habitado pelas tristes almas cuja sanidade o tempo roubou.
Talvez o silêncio seja mesmo uma espécie de refúgio.
Um refugio para que espera.
Espera que se torna um fardo insuportável quando cigarros já não são suficientes para suprimir as horas, e nem há mais pensamentos para saciar nosso desejos...acalmar nossos tormentos.
Nos poupar da massante relidade.
E não há consolo no sono, tranquilidade no nascer do dia.
Insônia.
Insônia e angústia.

domingo, 1 de março de 2009

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2009

Versos Autobiograficos da Menina Que Não Sabia Rimar.

Fui concebida do escarro de um Fauno.
Gerada no ventre de uma Leoa.
Amamentada por uma Sereia.
Abandonada aos pés de Prometeu.
Adotada por uma Ninfa.
Criada como planta ao relento.
Educada sem argumentos.
Foi com o novelo de Aracne que teci meu destino
Envenenei minha alma com o tempo.
Morri parindo um centauro que sobre o meu corpo despedaçado cavalgou.
Nutri o solo com meu sangue e placenta.
Nasci flor no colo da indecência.
Cresci luz na tez de uma estrela.
Deixei minha marca nas costas de uma camponesa.
Minhas lágrimas no peito de um sonhador.
meus tesouros na terra de Melquíades.
E Um último suspiro sem sofrimento ou dor.

(a Menina Que Não Sabia Rimar me disse que escreveu estes versos no ônibus, vindo do trabalho.)

terça-feira, 24 de fevereiro de 2009

Ao inquilino de Jonas.

Se você decidiu que vai morar mesmo com Jonas na boca da baleia, eu espero que tenha um espaço pra mim.
De qualquer forma há algum tempo tenho enxergado há vida através de um periscópio de lentes mal focadas.
Espero que compreenda, meu caro.
Cada um tem os seus motivos.
Dos meus eu nem sei mais ao certo.
Talvez eu não consiga mais ter estímulos para entender tudo isso.
As relações vazias...essa "pseudo-felicidade" patética e sem razão.
Como quando tomamos uma imensa taça de sorvete e a nossa boca fica anestesiada, mas continuamos a comer sem saber o porquê.
Parecemos satisfeitos mas no fundo não temos muita certeza se era isso mesmo.
Se meus amigos lerem isso vão rir.
Como já disseram em outras ocasiões: "Ela tá pirando!"
Mas sei lá, nem sei se já fui tão sincera um dia.
Tudo me leva crer que a sinceridade é um tapa na cara de quem vive se escondendo.
As pessoas não gostam muito de pensar que existe alguma coisa por de trás da maquiagem.
Aliás as pessoas nem gostam de pensar em coisa alguma.Porque isso faz seus crânios ficarem inchados.
Quando alguém me aconselha a deixar de ser radical, e se isso é ser radical...cara, então eu só posso pensar que estou condenada viver uma mentira.
Essas discussões não tem tanta importância.
Portanto, me desculpem por ter sido tão ausente.
Eu os amo...mas não vejo mais as suas almas.
O que está acontecendo?
Talvez amanhã eu me preocupe com aquele relacionamento que esta em crise ou aquele outro que acabou.
Aquela velha questão da moradia ou os problemas com a lei seca.
Sinto que estão todos tão perdidos quanto eu.
Não sei explicar se isso é infelicidade.
Não há de ser.
Infelicidade é este circo todo que estão fazendo questão de viver.
Porra, é desse modo que pretendem gastar suas vidas.
È deste modo que querem que eu gaste a minha vida.
Eu queria tanto...tanto ... que conseguissem me ver com o coração.
E ver a minha alma ... entender minhas unhas roídas.
Mas eu acho que isso não os preocupa, e sim se eu estarei lá com aquela blusa estampada e animo para debater longamente sobre os assuntos que estão em pauta desde os nossos primeiros goles juntos.
Bem, Meu Caro, e eu não desejo prolongar este assunto ainda mais, apenas espero que Jonas seja para mim , tão bom companheiro quanto é para você.
Não desejo recepção alguma, não se preocupe com isso, mesmo porque eu ainda não estou certa de minha decisão. Assim como não estou certa de absolutamente nada.

terça-feira, 10 de fevereiro de 2009

Quem me ofereceu o selo foi a Camille(óia,desta vez acertei) que é uma pessoa muito divertida e possui um blog que visito sempre pois fala de diversos assuntos.
Regras:
1. Exibir a imagem do prêmio;
2. Linkar o blog do qual recebeu o Prêmio Dardos;
3. Escolher 5 blogs para entregar o Prêmio Dardos;
4. E avisar a todos.
Indico:
Que é o maior legal..trocadilho horrível, eu sei!
Que conheço a pouco tempo e gostei bastante.
(não tenho dificuldade de gostar de etílicos rsrsrs)
Hi David!
(É só o que falo em inglês)
(Tem tudo haver com o titulo...)
Muito divertidos os posts...
E é isso ai gente!
Brigadu!

terça-feira, 3 de fevereiro de 2009

Meia Luz

Ela abre a porta e se depara com o olhar pacato de sempre e aquele sorriso a meia boca que abrem pequenas covas no canto dos lábios.
Um misto de tristeza e frustração a toma, mas ela resiste e o convida para entrar.
Ele quer sair, mas ela esta desanimada pois ameaça chover.
Mesmo assim vai para o banho.
Pensa: “tudo bem, tanto faz.”
Ele se distrai com os livros e os CDs’s na estante.
Ela põem um vestido com fitas e bordados.
Ele é tardado por mulheres usando vestido.
(Acredito que já Chegou a deseja r ser mulher um dia para poder usar um.)
Ela se maquia, trança o cabelo: procedimento padrão.
Começa a chover, ela pensa: Tanto faz.
Sente vontade de chorar, mas já se acostumou.
Ele a olha rasa e tenta abraça-la.
Ela se esquiva: “Agora Não”.
"O que você tem? "
Ele pergunta, mas no fundo não se importa... Pra ele tanto faz se o abraço é sincero ou não, ou ainda se ela o abraça ou não. O importante é que ela esteja lá, e com a presença dela se renovam as esperanças de poder abraçar.
E a esperança de receber um abraço é muitas vezes mais importante do que o abraço.
“Agora quero ler um trecho do livro pra você.”
Este é um habito que ela tem.
Não se trata de ler para ele ou para qualquer pessoa que seja.
Ela sente menos solidão quando pode compartilhar sua leitura com alguém
“Claro!”
Ele fica feliz ao perceber que o livro em suas mãos aparenta não ter mais que 150 páginas.
Ela se acomoda na cadeira esticando as pernas e apoiando as na cama.
Ele não consegue deixar de notar que seu joelho esta descoberto.

*“No inicio da minha detenção, no entanto o mais difícil que tinha pensamentos de homem livre. ::
Mas isto durou alguns meses. Depois só tinha pensamentos de prisioneiro. Aguardava o passeio diário no pátio ou a visita do advogado. O resto do meu tempo eu coordenava muito bem. Nessa época pensei muitas vezes que se me obrigassem a viver dentro de um tronco seco de árvore, sem outra ocupação além de olhar a flor do céu acima da minha cabeça, eu teria me habituado aos poucos. Teria esperado a passagem dos pássaros ou os encontros entre as nuvens tal como esperava aqui a estranhas gravatas do advogado, e, como num outro mundo, esperava até sábado para estreitar nos braços o corpo de Marie. Ora a verdade afinal é que eu não estava em uma árvore seca. Havia pessoas mais infelizes do que eu. Era, aliás, uma ideia de mamãe, e ela repetia com frequência que acabávamos acostumando-nos a tudo.
“Não é fantástico?”
Ele não sabe o que responder.
“Será que de certa forma somos tão prisioneiros quanto o condenado em sua cela?”
E ele pensa que já esta ficando tarde.
Parece um bom livro, quero ler depois. Me empresta??
Agora além de triste e sozinha, se sente ridícula por tentar compartilhar o "incompartilhavel".
Se sente também egoísta por pensar tanto em si mesma.
Eles chegam tarde e sem muito que dizer deitam se para dormir.
Ela apaga luz depois de ler algumas páginas do livro.
Desta vez em silêncio.
Ele ficou incomodado com a claridade, mas jamais ousaria dizer.
Enfim ele adormece.
Ela o espia.
No fundo acha bobagem se sentir sozinha quando se tem alguém respirando tão perto.
Não é mais tão importante, então tanto faz.
Como não importa mais se ele passou a semana toda pensando o quanto seria bom abraça-la.
Ela sente pena de todos os dependentes destes pequenos vícios. Vícios que são tão ou mais prejudiciais que o habito de fumar.
Ela esta tentando parar de fumar mas não diz nada a ninguém.Caso fracasse somente ela saberá.
Ele dorme e segundo ele mesmo nunca sonha com nada.





* Albert Camus, O Estrangeiro

quinta-feira, 29 de janeiro de 2009

"Gosto dos venenos mais lentos!
As bebidas mais fortes!
Dos cafés mais amargos!
E os delírios mais loucos.
Você pode ate me empurrar de um penhasco que eu vou dizer:
E daí?!
Eu adoro voar!!!"

Clarice lispector

quinta-feira, 22 de janeiro de 2009

Apaixonadamente, Frida Kahlo!



Frida Kahlo, a mais intensa e verdadeira de todas as artistas!

Sua trajetória é marcada por sentimentos extremos que vão desde a imensa felicidade por sua vida e obra até a depressão profunda causada pelas fortes dores que sentia em razão das sequelas da poliomelite obtida na infância e o acidente de transito que sofrerá na juventude.

Quando obeservo uma obra de Frida minha alma experimenta um misto de emoções que as palavras são incapazes de descrever.As cores explodem de suas telas e ecoam dentro de mim como uma canção.

Esta encantadora mexicana nasceu em 06 de julho de 1907.É filha de uma mexicana com um judeu alemão.

Em 1925, aos 18 anos foi vitima de um grave acidente:O ônibus em que viajava se chocou com um bonde.

Acamada, começou utilizar a pintura como distração e também uma forma de expressar o díficil momento que estava vivendo.A partir de então a arte passou a significar a existência de Frida.

Integrou o Movimento Comunista Mexicano ao lado de seu marido,o também artista, Diego Rivera.Viveram um relacionamento contubardo devido ao grande número de amantes que Diego possuia, entre elas a irmã de Frida, fato que culminou na separação do casal.

Entretanto se reconciliaram anos mais tarde.

Frida teve relacionamentos extra conjugais com várias mulheres o que era aceito tranquilamente pelo marido.Ela também teve um breve romance com Trotski quando ele se hospedou na "Casa Azul", como é conhecida a casa de kahlo.

Apesar de viver constantemente com dores por todo o corpo, tinha uma vida social boemia repleta de festas com o melhor da música mexicana regadas ( claro!! ) a muuuuuuita Tequila.

Frida Kahlo faleceu em 1954, com o corpo debilitado e uma perna amputada.

A causa: embolia pulmonar após uma forte peneumonia, mas especula-se suícidio por overdose e até assassinato por envenenamento(o que eu acho pouco provável).

A última anotação de seu Diário diz: "Espero alegremente
a saída - e espero
nunca mais voltar -
FRIDA"

As obras de Frida são sensíveis e passionais pois falam de suas angústias, de suas dores e tristes perdas.

É o caso de "Cama Voadora" (1932) que a retrata em uma enorme cama de hospiotal após sofrer um aborto.

Ou "Nascimento (1932)" que retrata o seu nascimento.A imagem é muito curiosa pois Frida pinta sua mãe em trabalho de parto com a cabeça coberta com um lençol.

A inpiração surgiu em decorrência da morte de sua mãe quando a obra se encontrava ainda em fase de conclusão.

Para conhecer mais sobre a artista sugiro o filme "Frida" de Julie Taymor que apresenta Salma Hayek(digna!) no papel de Frida e Alfres Molina como Diego Rivera.

Indico também "O Diário de Frida Kahlo " publicado no Brasil pela José Olympio Editora (com introdução de Carlos Fuentes, cometários de Sarah M. Lowe, e tradução de Mário Pontes).

Este, gente...me leva aos prantos...

*Trata-se das anotações pessoais da Frida (vou postar no Manuscrito algumas imagens).

Para finalizar Frida foi a artista mais bela de todas as artistas.

Sua alma:Bela

Seu frágil corpo:Belo

Sua expressão forte:Bela

Seu estilo para se vestir:Belo

Sua arte:Bela

"Um dia veremos, um dia
aprenderemos. Há sempre coisas
novas. Sempre ligadas à
antiga existência."-Frida

Mulheres realmente belas.

Mal começou o ano de 2009 e as jovens "beldades" adentraram" a casa mais vigiada doBrasil" com os dois pés, ou melhor dizendo,com os dois peitos...duros e siliconados.

Por que convenhamos, já deu pra perceber que este é o pricipal atributo para participar da competição do zoológico humano.

Nada contra os silicone ou a beleza construida no bisturi e nas acadêmias de ginástica, mas na minha opinião a beleza de uma mulher não deve se basear unicamente na firmeza de suas carnes ou no tamanho de seus seios.

Aliás estas belezas são belezas surreais já que é muito raro encontrarmos mulheres com tal aparência nas praias ou nos clubes.

As vezes, timida em seus biquinis percebo mulheres de formas variadas : magras, altas, baixas negras ou branquissimas ... bem diferente daquele bronzeado top padronizado.

=( Como se toda brasileira tivesse que ter cor de sol )=

Beleza verdadeira é aquela presente na intensidade do olhar, no estilo, na personalidade.

Para ilustrar meu pensamento a cerca do assunto postarei apartir de hoje uma pequena biografia das mulheres talentosas e relmente belas nas quais eu me inspiro sempre.

Então vem aí...a minha favorita: Frida khalo.

Espero que gostem e inspirem vocês também!

Ah...Por falar em Big Brother, leiam "1894" de George Orwell escrita em 1948.Conta a história de um mundo disfarçado de democrácia mas que vivia totalitarismo do partido Ingsoc comandada pelo Grande Irmão(Big Brother).Todos os cidadãos são vigiados 24 horas por teletelas adaptadas aos televisores.
Isso te lembra alguma coisa?!?

quarta-feira, 21 de janeiro de 2009

Crianças, como são todas as crianças.


Não posso deixar de pensar no assunto.
Não posso deixar de pensar nestas crianças.
Não posso deixar de pensar na guerra e na sua ação destrutiva.
Penso em todas elas expostas a violência, a fome as condições insalubres de vida.
Penso nelas quando vejos as crianças correndo no parques.
Quando vejo as crianças de mãos dadas com seus pais nos shoppings centers.
Como alguém pode patrocinar uma guerra?
Como alguém pode pensar que a guerra pode ser um negócio lucrativo?
Será que ninguém se importa?
Será que a propaganda norte-americana de "combate ao terrorismo" surtiu algum efeito sobre nós a ponto de pensarmos que as crinças árabes são menos humanas do que qualquer outra criança de qualquer outra porcaria de nação?
Que terra prometida é esta que deve ser conquistada as custas do derramamento de sangue inocênte?
Algumas pessoas me disseram que a guerra nasceu junto com a humanidade.
Que merda.
Que droga de justificativa é essa, hein professor?!?
Eu não aceito.
Não aceito a guerra, as injustiças, o silêncio e a passividade diante da morte de mais de 300 crianças!!!
Não são apenas números ... são vidas interrompidas.
Nada vai mudar isso.
Será que esse foi o modo que os E.U.A encontraram de superar a tal crise?
Será que os judeus vão apoiar se eternamente a memória do holocausto como justificativa para massacrar os outros povos?
O que dizer?!
Apenas um desabafo.
...e...uma certa tristeza...
inconformada...
"Se o mundo é mesmo parecido com o que vejo,
Prefiro acreditar no mundo do meu jeito."
(Legião Urbana)




Menino selvagem mata porco armado...


Quero dizer:Menino Armado mata Porco selvagem!!
O porco de 2,86 metros da ponta do focinho até a base do rabo e com cerca de 500 Kg virou noticia no final de 2008.
O menino tem apenas 11 anos e persegui e matou com 8 tiros o bizarro animal.

Ainda não sei o que me assusta mais, o porco gigante ou o menino armado.

segunda-feira, 19 de janeiro de 2009


Eu desejo ter muita cultura.E vestidos, sapatos, perfumes e...bolsas também.

domingo, 18 de janeiro de 2009

Eu Recomendo!!!

“Gota D‘Água – Uma Tragédia Brasileira”
Chico Buarque e Paulo Pontes

“Deixa em paz meu coração
Que ele é um pote até aqui de mágoa
E qualquer desatenção
_ faça não
Pode ser a gota d‘água”


Peça teatral escrita em 1975 e publicada em livro no mesmo ano.
Os autores se inspiraram na adaptação feita por Oduvaldo Vianna Filho da tragédia de Eurípides, Medeia, para a televisão.
Joana, Jasão e seus dois filhos vivem no conjunto habitacional Vila do Meio Dia, e assim como seus vizinhos pagam com dificuldade as pesadas parcelas do apartamento á Creonte, o dono dos prédios.
Contudo, Jasão que aspira ser um cantor de sucesso, passa a ser empresariado por Creonte e viver um romance com sua filha Alma, abandonando a família.
Joana acaba por ser expulsa da Vila e para vingar-se (ou não) do ex-marido mata os filhos e suicida-se.
Não fica completamente claro se o ato de Joana é um ato desesperado, cuja intenção é poupar os filhos do sofrimento da fome, ou é de fato vingança como ocorre no caso da tragédia grega.
E talvez seja justamente a dualidade presente nos intensos sentimentos de Joana que torne esta trama tão humana, tão próxima das nossas virtudes e misérias.
A peça possui uma linguagem atual e aborda com dignidade os temas ligados á desigualdade social, aos problemas de moradia e o caráter exploratório do capitalismo.

P.S.: Um livro com poucas páginas, dá pra ler em um dia.
Você viaja de trem até a Luz: pronto!
Já leu a metade!
Na volta, lê a metade que resta.
Rápido, fácil e indolor!

quinta-feira, 15 de janeiro de 2009

Nina Pandolfo



ADoro estas figuras tão doces, ingênuas e levemente sensuais...
A imagem acima é de Nina Pandolfo, que iniciou seu trabalho nas ruas de são Paulo, ao lado de seu marido Otávio Pandolfo que compõem a dupla Osgêmeos.
Nina vendeu, merecidamente, suas obras por até 10.000 dólares na amostra "Aos Nossos Olhos"- Galeria Leme, Butantã.
E pensar que o trabalho desta artista (e de tantos outros grafiteiros)que enobrecia gratuitamente as ruas cinzas da cidade já chegou a ser apagado dos muros pela Prefeitura.

quarta-feira, 14 de janeiro de 2009

Estou muito feliz pela indicação da Camila do Brainstorm insensatez para ganhar este meme.
Muito Obrigada Camila!!!


Regrinhas do meme:

1. Linkar a pessoa que te indicou.
2. Escrever as regras do meme em seu blog.
3. Indicar mais quantas pessoas você quiser e colocar os links no final do post.
4. Deixe a pessoas saber que você a indicou, deixando um comentário para ela.
5. Fique à vontade, você pode pegar o código no menu e colar em seu blog ou artigo e colocar um link.

Os indicados são:
Meio Pau! por Thiago Almeida
Publicando! por Airton